Ácido lático: entenda como age no organismo o composto liberado em atividades físicas de maior intensidade

Compartilhe esse artigo!
Por  Equipe Onique  |  Publicado em 12 de abril de 2017 | Atualizado em 03 de agosto de 2018

O ácido lático é um composto orgânico de função mista ácido-álcool que participa de vários processos bioquímicos orgânicos.

No organismo humano, ele resulta da metabolização celular da glicose, com fins energéticos. Por isso, habitualmente fala-se dele quando se trata da prática de exercícios físicos.

O ácido láctico pode ser obtido a partir do açúcar do leite (lactose), do amido, do açúcar da cana (sacarose) e é naturalmente encontrado no suco de carne, leite azedo, nos músculos e em alguns órgãos de algumas plantas ou animais.

O organismo humano produz ácido lático em quantidades expressivas, durante a realização de exercícios físicos.

Quando atividade física é realizada de forma intensa é comum haver uma liberação excessiva de ácido lático, que é formado num ritmo muito mais rápido do que é eliminado, resultando em muito cansaço e dores musculares.

No ambiente celular, o ácido lático se transforma em lactato, que é a forma ionizada deste ácido.

Ácido lático: o processo

No organismo, as célula metabolizam a glicose até transformá-la em dióxido de carbono e água resultando em energia química.

A primeira fase desta via metabólica dura até a formação de piruvato e gera pouca quantidade de energia por molécula de glicose, mas é muito rápida.

A segunda fase, em que o piruvato dá origem a uma grande quantidade de energia, ocorre de forma muito lenta. Apesar destas duas fases normalmente surgirem em sequência, nem sempre o piruvato entra na mitocôndria para seguir a segunda fase da via metabólica.

Quando o corpo passa por uma situação em que se exige mais energia, as células vão direto para o segundo processo, transformando diretamente piruvato em lactato.

Este “desvio” permite que a fase rápida possa ocorrer de forma independente da fase lenta e, assim, a produção de lactato se dissocia das duas fases do metabolismo da glicose.

Devido a esse processo, a célula consegue em menor tempo, degradar muitas moléculas de glicose e, dessa forma, gerar grande quantidade de energia para suprir essas situações de maiores necessidades, como nos exercícios físicos intensos, por exemplo, produzindo, contudo, mais lactato.

A maior ou menor produção de lactato pelos músculos esqueléticos e sua concentração sanguínea depende não só da massa muscular exercitada, mas, também, do tipo de fibras musculares recrutadas em cada instante.

Isso acontece pois há fibras com capacidade de especializar-se metabolicamente numa das duas fases acima referidas, permitindo principalmente a fase rápida ou a lenta e o acúmulo ou não de lactato.

Quais são os efeitos do ácido lático sobre o organismo?

O acúmulo de ácido lático é uma das causas das dores musculares pós-exercício, embora não a única, no entanto, ele tem também propriedades orgânicas positivas.

Ele é um combustível útil do músculo e não um catabólito, como se pensava. Ele também é umectante e hidratante da pele e por isso é muito utilizado na indústria de cosméticos. Além de hidratar, também atua como rejuvenescedor e clareador da pele.

No organismo, o músculo produz ácido lático a partir da glicose. Quanto mais em forma a pessoa estiver, mais adaptado o seu músculo vai estar para usá-lo e não deixá-lo acumular-se.

Ou seja, quanto maior o músculo, mais o sistema de queima de ácido lático ficará eficiente. O ácido lático pode se acumular em excesso, nas condições em que a velocidade de sua produção supera a de sua eliminação, como nos exercícios intensos, provocando dores musculares.[vc_row css=”.vc_custom_1478024067242{margin-right: 5px !important;padding-top: 15px !important;padding-right: 20px !important;padding-bottom: 25px !important;padding-left: 20px !important;background-color: #f1f5f8 !important;border-radius: 4px !important;}”][vc_column width=”1/6″ css=”.vc_custom_1467746880870{margin-right: -30px !important;}”][vc_single_image image=”12514″ img_size=”full” alignment=”center” style=”vc_box_circle_2″ onclick=”custom_link” link=”https://oniquenutrition.com/blog/sobre/”][/vc_column][vc_column width=”5/6″]

Não se esqueça de compartilhar este post!

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.