Alergia ao leite e intolerância à lactose: qual a diferença?

Compartilhe esse artigo!
Por  Dalcia Klimaczewski  |  Nutricionista - CRN 8 12426 Publicado em 04 de janeiro de 2018 | Atualizado em 03 de agosto de 2018

A alergia ao leite e a intolerância à lactose são duas patologias distintas, apesar de serem confundidas pela maioria das pessoas, apresentam causas e sintomas diferentes e, por isso, devem ser diagnosticadas corretamente para que a alimentação seja adaptada para cada uma delas, evitando deficiências nutricionais desnecessárias, como a do cálcio, por exemplo.

A alergia ao leite é uma reação imunológica do organismo às proteínas presentes no leite que se manifesta já na infância e pode causar sintomas imediatos ou tardios. Os sintomas imediatos são urticárias, broncoespasmo, manifestações gastrointestinais agudas e até mesmo anafilaxia. Já os tardios são sangue nas fezes em lactentes, vômitos, diarreia e déficit de crescimento em crianças. Em geral, a alergia ao leite causa manifestações cutâneas, respiratórias e cardiovasculares, podendo levar também ao fechamento da glote.

Já a intolerância à lactose está relacionada à redução da atividade da enzima lactase, que fica no intestino delgado e é responsável por digerir a lactose, que é o açúcar do leite. Ela pode acometer crianças e adultos e causa sintomas gastrointestinais apenas, pois está relacionada com a deficiência da digestão da lactose no intestino. São eles dor e distensão abdominal, flatulência, diarreia e, em algumas ocasiões, náuseas e vômitos.

Enquanto na intolerância à lactose os sintomas variam de acordo com a quantidade de leite e derivados ingeridos, na alergia ao leite eles aparecem com qualquer quantidade ingerida, podendo haver manifestação dos sintomas até mesmo com traços de leite.

Como tratar a alergia ao leite e a intolerância à lactose

Pessoas alérgicas às proteínas do leite devem retirar completamente o leite de vaca da sua alimentação, incluindo todos os seus derivados, como queijos e iogurtes. Como substituição, podem optar pelos leites vegetais, como o de soja, coco, amêndoas, arroz, etc. Porém, os alérgicos ao leite devem suplementar o cálcio, principalmente, pois este nutriente está presente em mais abundância no leite de vaca do que nos leites vegetais.

Já as pessoas intolerantes à lactose podem consumir leite de vaca livres de lactose (lacfree), muito comuns hoje em dia nos mercados. Além disso, também podem optar por ingerir a enzima lactase junto com o leite ou seus derivados. Dessa forma, não haverá manifestações dos sintomas ao ingerir a lactose, pois a enzima estará presente para fazer a sua digestão.

Portanto, deve-se diferenciar a alergia do leite e a intolerância à lactose, pois o diagnóstico influenciará na alimentação do indivíduo, exigindo a completa retirada do leite de vaca da dieta ou não.[vc_row css=”.vc_custom_1478024067242{margin-right: 5px !important;padding-top: 15px !important;padding-right: 20px !important;padding-bottom: 25px !important;padding-left: 20px !important;background-color: #f1f5f8 !important;border-radius: 4px !important;}”][vc_column width=”1/6″ css=”.vc_custom_1467746880870{margin-right: -30px !important;}”][vc_single_image image=”13707″ img_size=”full” alignment=”center” style=”vc_box_circle_2″][/vc_column][vc_column width=”5/6″][vc_column_text]Dalcia Klimaczewski[/vc_column_text][vc_column_text]24 anos, comunicóloga e graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná. Adepta à nutrição comportamental, acredita que a saúde e o bem-estar são consequências do equilíbrio entre o corpo e a mente.

Dalcia Klimaczewski

Nutricionista

Formada em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pós-graduanda em Comportamento e Transtornos Alimentares pelo Instituto de Pesquisa do Comportamento Alimentar (IPCAC).

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.