Chocolate Amargo: este está liberado! Saiba porque este é o tipo mais indicado para manter a forma física, sem abrir mão dos prazeres do chocolate

Compartilhe esse artigo!
Por  Jéssica Mateus  |  Nutricionista Publicado em 21 de março de 2016 | Atualizado em 21 de março de 2016

Chocolate amargo: entenda porque este tipo de chocolate é benéfico à saúde, saiba como escolher o seu de acordo com o percentual de cacau.

O chocolate foi rotulado como vilão nos últimos anos, porém o que poucos sabem é que nem sempre foi assim.

Na Europa durante o século XVI e na Ásia, o cacau era utilizado como remédio por trazer benefícios essenciais para a saúde. Sendo também o produto mais vendido durante a época de Páscoa. Mas então por que ele é visto como vilão?

Chocolate: História

Para explicar tudo isso, vamos começar contando um pouco de como o chocolate é produzido. Tudo começa com o cacaueiro. Nativo de locais mais úmidos e tropicais, o cacaueiro produz um fruto chamado de cacau, do qual se usa apenas a semente para a produção do chocolate.

Inicialmente ele possui um gosto amargo, mas as mudanças de sabor e textura acontecem nas fábricas com processos específicos que variam na quantidade de açúcar adicionada e de leite (ambos alteram na biodisponibilidade dos nutrientes e benefícios).
Antigamente, o chocolate era utilizado em bebidas e servido apenas para imperadores e nobres, pois era considerado algo muito especial e caro. No século XIX o cacau finalmente começou a ser cultivado no Brasil.

Agora chega de história e vamos ao que interessa. Comer chocolate faz bem ou faz mal? Qual tipo é o melhor para ser consumido? Quais são os benefícios para a saúde? Qual a quantidade que deve ser consumida sem ter um prejuízo no meu desempenho na academia? Posso comer sem culpa?

Os tipos de chocolate

Chocolate amargo e demais tipos de chocolate

Bom, como muitos sabem, existem 3 tipos de chocolate que são a base para os demais. Para comer bem, é preciso saber o que comer e quando comer. Portanto, vamos a eles:

Chocolate ao leite

O mais comum entre todos eles. Esse tipo é composto de leite em pó ou leite condensado (sendo este o ingrediente mais comum) e o teor de cacau fica em torno de 30 a 40%. A presença do leite faz com que esse tipo tenha uma taxa de gordura elevada, além disso tem muito açúcar e gordura hidrogenada.

Chocolate Branco

É o mais calórico de todos porque não contém cacau puro e sim a manteiga do cacau. Além desse ingrediente, temos também açúcar, leite, lectina e gordura hidrogenada. Apresenta textura mais cremosa e também é mais doce que os outros tipos de chocolate. Essa é a pior escolha que alguém pode fazer na hora de escolher um chocolate.

Chocolate amargo

Possui, em média, 50 a 75% de cacau na composição e é produzido com os grãos de cacau torrados e sem adição de leite. Neste tipo, podemos ter algumas variações como o extra amargo que apresenta cerca de 70% a 95% de cacau e o meio amargo com 35 a 50% de cacau.

Chocolate amargo: Benefícios

chocolate amargo benefícios

1. Ação antioxidante

A palavra antioxidante está sempre relacionada com atividade física, sendo mencionada sempre. Qual o motivo? Quando nos alimentamos com uma quantidade relativamente alta de proteínas, temos um excesso de radicais livres, que é o produto da quebra da proteína consumida para ser metabolizada e transformada em partículas menores, chamadas de aminoácidos. Durante esse processo há a presença dos radicais livres como um dos produtos finais, que são tóxicos ao nosso organismo se não forem excretados.

Esses radicais livres são muito prejudiciais à saúde, pois podem causar câncer, envelhecimento precoce e aterosclerose e é nesse momento que o cacau do chocolate entra como antioxidante. Por possuir componentes chamados de polifenóis, o cacau pode ter uma ação tanto antioxidante preventiva, quanto antioxidante de quebra de cadeias , de acordo com pesquisas feitas.

2. Saúde cardiovascular

O chocolate faz muito bem para o coração e podemos explicar isso simplesmente fazendo uma comparação da aspirina com ele. Ambos funcionam de uma forma semelhante afinando o sangue, protegendo o coração e não podemos esquecer que, por causa dos flavonóis, as paredes das artérias são protegidas controlando a pressão arterial e o colesterol ruim (LDL).

3. Aumento da imunidade

Como citado no primeiro item, os antioxidantes são responsáveis também pelo aumento da imunidade. Eles agem da seguinte forma: ajudam no reforço da imunidade por potencializarem a respostas dos anticorpos e dos linfócitos T (responsáveis pelo desencadeamento da resposta imune), e também fortalecem o revestimento interno do intestino (onde ocorre a absorção de nutrientes).

4. Alivia a tosse

Como uma informação medicinal antiga, o cacau era e ainda é utilizado para o alívio da tosse, por possuir uma substância chamada de teobromina estimulante que tira aquele incomodo na garganta que sentimos durante um ataque de tosse.

5. Felicidade

Muitas vezes ouve-se falar que ao comer chocolate a pessoa sente uma felicidade instantânea, e isso é verdade. Estudos indicam que a produção de endorfina e dopamina (hormônios relacionados a sensação de bem estar e relaxamento) é aumentada quando se ingere chocolate dando então aquela sensação de felicidade e calma.

6. Prevenção de pré-eclâmpsia na gravidez

Estudos realizados encontraram uma relação entre a pré-eclâmpsia (síndrome específica da gravidez, observada após a 20ª semana) e o chocolate. A explicação é que a substância chamada de teobromina é responsável pela prevenção da doença durante a gravidez.

7. Tratamentos estéticos

Em muitos spas e centros de estética, o chocolate é utilizado em tratamentos de beleza por ter um alto poder de hidratação e, também, por seu poder antioxidante, que combate o envelhecimento das células.

8. Diminui a resistência à insulina

Os flavóides mencionados anteriormente por seu poder antioxidante, também podem ser relacionados ao controle da resistência à insulina, pois há um controle na quantidade de açúcar no organismo, que pode variar durante o dia.

Com essa informação também podemos observar uma relação direta entre o controle de apetite e o chocolate amargo, pois esse controle realizado, junto com a diminuição da liberação da grelina (hormônio responsável pelo aumento da apetite), faz com que o nosso corpo não sinta aqueles picos de apetite.

Chocolate Amargo: o melhor tipo a ser consumido

melhor tipo de chocolate páscoa

Para que todos os benefícios mencionados acima sejam alcançados, o melhor tipo de chocolate a ser consumido na é o chocolate amargo. Essa escolha é a melhor, porque a adição de açúcar e leite neste tipo de chocolate é infinitamente menor, se comparada ao chocolate ao leite. O leite utilizado na fabricação do chocolate pode não ser benéfico, pois altera o poder de biodisponibilidade dos nutrientes e minerais do cacau. Desta forma, podemos considerar que o chocolate amargo é menos manipulado e mais natural do que o chocolate ao leite.

Uma regra importante deve ser lembrada, quanto maior a quantidade de cacau no chocolate, melhor serão aproveitados os benefícios.

Qual é a quantidade que deve ser consumida?

Infelizmente, mesmo o chocolate amargo sendo considerado ótimo para a saúde, não pode ser consumido livremente sem um controle na porção. Se ingerido em excesso pode ter uma consequência grande em relação as calorias presentes. Então a quantidade adequada é uma porção de no máximo 30g por dia, o equivalente a 3 “quadradinhos” de uma barra grande. São aproximadamente 179 calorias, 2.34g de proteínas, 12.79g de gorduras e 13.77 de carboidratos.

Lembrando sempre daquela regra já mencionada que a melhor escolha é o chocolate amargo e que quanto maior a porcentagem de cacau, melhor!

O que achou do artigo? Caso tenha tido alguma dúvida ou queira compartilhar uma experiência, registre o seu comentário abaixo! Ah, e não se esqueça de cadastrar o seu e-mail para ser a primeira a receber as novidades do Blog! Nós não fazemos SPAM, seu e-mail estará 100% seguro conosco.

Não se esqueça de compartilhar este post!

Jéssica Mateus

Nutricionista

Nutricionista formada na Universidade Anhembi Morumbi. Apaixonada por cozinhar e por procurar em como os alimentos podem afetar nossa saúde. Praticante de natação e corrida nas horas vagas.

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.