Frutose isolada x frutose in natura: conheça as diferenças

Compartilhe esse artigo!
Por  Dalcia Klimaczewski  |  Nutricionista - CRN 8 12426 Publicado em 24 de outubro de 2017 | Atualizado em 03 de agosto de 2018

A frutose é um carboidrato simples ou monossacarídeo, porém, nada mais é do que um açúcar, assim como a glicose e a sacarose. Ela é encontrada principalmente em frutas e também no mel. Ainda, pode-se adquirir a frutose isolada, que é a forma industrializada deste nutriente, podendo ser sob a forma de xarope de milho ou de frutose refinada, por exemplo, assim como o açúcar de mesa (sacarose).

Por possuir um poder adoçante maior do que a sacarose, a indústria vem utilizando a frutose isolada para adoçar produtos como refrigerantes, sucos de caixinhas, balas e gomas, doces, bolos, biscoitos, cereais matinais, ketchup, entre outros.

Malefícios da frutose isolada à saúde

Alguns estudos demonstraram que o uso excessivo de frutose isolada pode causar doença hepática gordurosa não alcoólica, conhecida por fígado gorduroso. Isso pode acontecer pelo fato de a frutose ser também precursora para a produção de triglicerídeos e colesterol, além de estimular as enzimas que fazem a síntese destas gorduras e das lipoproteínas de baixa densidade (VLDL), proporcionando acúmulo no fígado.

Além disso, outros estudos demonstraram que o uso da frutose isolada não é recomendado para diabéticos, pois o excesso deste nutriente pode causar resistência à insulina, piorando o quadro destes pacientes. Seu uso em excesso também não é recomendado para pessoas não portadoras desta doença, pois a resistência à insulina, causada pelo consumo excessivo de frutose isolada, é o gatilho para o desenvolvimento do diabetes.

Frutose in natura

As principais fontes de frutose in natura são as frutas e o mel, o qual pode ser também usado como adoçante. Porém, nas frutas, junto com a frutose estão as fibras, minerais e vitaminas.

Por isso, seu consumo na forma in natura é mais recomendado do que a forma isolada, pois ao comer uma fruta inteira tem-se os benefícios de todos estes nutrientes combinados, além de não haver um excesso de frutose nesses alimentos.

Porém, deve-se tomar cuidado com a quantidade de frutose quando as frutas são consumidas na forma de sucos naturais, pois retira-se as fibras das frutas durante o processo e a quantidade de frutose acaba sendo alta, devido à quantidade maior de frutas utilizadas para fazer o suco.

Portanto, é mais recomendado evitar a frutose isolada, presente em diversos alimentos industrializados. Estes alimentos devem ser evitados também por possuírem altas quantidades de sódio e gorduras que, em conjunto com os açúcares, são responsáveis pelo desenvolvimento de várias doenças, como a obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares. Deve-se preferir sempre o consumo da frutose in natura, de forma a aproveitar os benefícios dos outros nutrientes dos alimentos que a contém.[vc_row css=”.vc_custom_1478024067242{margin-right: 5px !important;padding-top: 15px !important;padding-right: 20px !important;padding-bottom: 25px !important;padding-left: 20px !important;background-color: #f1f5f8 !important;border-radius: 4px !important;}”][vc_column width=”1/6″ css=”.vc_custom_1467746880870{margin-right: -30px !important;}”][vc_single_image image=”13707″ img_size=”full” alignment=”center” style=”vc_box_circle_2″][/vc_column][vc_column width=”5/6″][vc_column_text]Dalcia Klimaczewski[/vc_column_text][vc_column_text]24 anos, comunicóloga e graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná. Adepta à nutrição comportamental, acredita que a saúde e o bem-estar são consequências do equilíbrio entre o corpo e a mente.

Dalcia Klimaczewski

Nutricionista

Formada em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pós-graduanda em Comportamento e Transtornos Alimentares pelo Instituto de Pesquisa do Comportamento Alimentar (IPCAC).

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.