Benefícios do inhame

Compartilhe esse artigo!
Por  Dalcia Klimaczewski  |  Nutricionista - CRN 8 12426 Publicado em 31 de agosto de 2017 | Atualizado em 16 de julho de 2019

O inhame, do gênero Dioscorea sp, é um tubérculo muito consumido no Nordeste brasileiro, onde também se concentra a sua maior produção. Ele pode ser utilizado em diversas preparações, principalmente como substituto da batata ou para complementar outros produtos alimentícios, como massas e bolos.

Este tubérculo é composto por carboidratos complexos, fibras, vitaminas, minerais e outras substâncias que apresentam propriedades terapêuticas, favorecendo a promoção da saúde.

Benefícios do inhame

1. Fortalece o sistema imunológico e previne doenças

Por conter vitaminas antioxidantes, fitoesteróis e minerais importantes para o bom funcionamento do corpo, o inhame restaura e mantém o sistema imunológico saudável e resistente. Além disso, esse tubérculo também é um ótimo depurativo do sangue, sendo indicado para prevenir doenças como a malária, dengue e febre amarela.

2. Ajuda na regulação hormonal feminina

O inhame apresenta substâncias denominadas sapogeninas, sendo a diosgenina a principal classe delas. No corpo humano, ela é convertida à desidroepiandrosterona (DHEA), sendo usada então na produção de hormônios como a progesterona, estrogênio e testosterona. Além disso, a diosgenina, por ter estrutura química similar à dos hormônios esteroides, pode ser utilizada para produção de pílulas anticoncepcionais.

Dessa forma, a diosgenina presente no inhame contribui para manter a regulação dos hormônios sexuais, sendo útil para situações de menopausa, tensão pré-menstrual (TPM) e endometriose, por exemplo.

3. Diminui os níveis de colesterol LDL

Os fitoesteróis presentes no inhame interferem na absorção do colesterol no intestino pelo fato de terem estruturas perecidas, contribuindo com a redução dos valores plasmáticos de colesterol total e do LDL no organismo.

4. Previne o envelhecimento e o câncer

O inhame apresenta compostos antioxidantes, como os betacarotenos e a vitamina C, que combatem os radicais livres. Dessa forma, essas substâncias protegem os tecidos e órgãos do corpo dos danos da oxidação, evitando também mutações no DNA e a proliferação celular excessiva. Dessa forma, previne-se o envelhecimento e o câncer.

5. Promove a saciedade

Os carboidratos presentes no inhame são complexos, ou seja, a glicose proveniente da sua digestão é liberada aos poucos na corrente sanguínea, ao contrário dos carboidratos simples, que promovem picos de glicose no sangue. Dessa forma, o corpo tem energia disponível por mais tempo, reduzindo a fome.

Além disso, o inhame contém fibras, que também promovem a saciedade. Elas diminuem a velocidade do esvaziamento gástrico, além de colaborarem com a diminuição do colesterol total pelo fato de interferir na sua absorção no intestino.

6. Previne a anemia ferropriva

O inhame possui uma concentração alta do mineral ferro, que é essencial para o transporte de oxigênio aos tecidos e órgãos, prevenindo, portanto, a anemia ferropriva, que é causada pela falta desse mineral no organismo. A vitamina C, também presente no inhame, ajuda na absorção do ferro, potencializando seus efeitos.

Portanto, o consumo de inhame é muito indicado devido às suas propriedades terapêuticas. Pode ser consumido cru, batido junto com sucos, ou cozido, na forma de purês, ou acrescentado à outras preparações. Também pode ser utilizado na forma de farinha para fazer biscoitos ou bolos, por exemplo.[vc_row css=”.vc_custom_1478024067242{margin-right: 5px !important;padding-top: 15px !important;padding-right: 20px !important;padding-bottom: 25px !important;padding-left: 20px !important;background-color: #f1f5f8 !important;border-radius: 4px !important;}”][vc_column width=”1/6″ css=”.vc_custom_1467746880870{margin-right: -30px !important;}”][vc_single_image image=”13707″ img_size=”full” alignment=”center” style=”vc_box_circle_2″][/vc_column][vc_column width=”5/6″][vc_column_text]Dalcia Klimaczewski[/vc_column_text][vc_column_text]24 anos, comunicóloga e graduanda em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná. Adepta à nutrição comportamental, acredita que a saúde e o bem-estar são consequências do equilíbrio entre o corpo e a mente.

Não se esqueça de compartilhar este post!

Dalcia Klimaczewski

Nutricionista

Formada em Nutrição pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e pós-graduanda em Comportamento e Transtornos Alimentares pelo Instituto de Pesquisa do Comportamento Alimentar (IPCAC).

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.