Desmistificando o uso de suplementos alimentares para idosos: tudo que você ou seus pais e avós precisam saber sobre

Compartilhe esse artigo!
Por  Ana Carolina Rocha  |  Nutricionista - (CRN3 - 48025) Publicado em 23 de agosto de 2019 | Atualizado em 23 de agosto de 2019

Suplementos alimentares para idosos: o uso traz diversos questionamentos, ainda mais se o consumidor for uma pessoa da terceira idade. Será que o uso é necessário? Quais os benefícios e prejuízos que o uso de suplementos alimentares em idosos pode causar?

Suplemento alimentar para cada faixa etária?

Com o avanço da ciência e tecnologia, a indústria de alimentos é capaz de produzir suplementos alimentares cada vez mais específicos para determinadas faixas etárias e gênero, personalizando o que cada fase da vida mais necessita em termos nutricionais.

Nutrição nas fases da vida

Cada etapa que vivemos, sejamos homens ou mulheres, temos necessidades nutricionais específicas, que vão variar conforme alterações hormonais e envelhecimento natural do corpo.

Essas mudanças são básicas para todos os seres humanos. No entanto, alterações individuais que dependem da influência ambiental e socioeconômica podem ocorrer, e esse é o principal motivo ao qual o profissional da saúde deve ser consultado antes do uso de qualquer tipo de suplementação.

No caso da terceira idade, as principais necessidades nutricionais derivam do declínio hormonal natural do corpo e do uso de medicamentos, que causa consequência nos hábitos alimentares deste grupo populacional.

Por exemplo, a xerostomia (redução da produção de saliva) é causada, dentre vários fatores, pelo uso de alguns tipos de medicamentos e por causas hormonais.

Apesar de parecer uma simples redução de saliva, esse sintoma causa diversos problemas na alimentação, pois o idoso passa a reduzir a alimentação devido à dificuldade na mastigação e deglutição, reduzindo principalmente alimentos aos quais seja necessário maior esforço para se alimentar – como carnes. Essa redução na alimentação é a principal causa de desnutrição em idosos.

Nutrientes para tornar essa a melhor fase da vida

Apesar das mudanças naturais com o envelhecimento, adequando a alimentação é possível sim tornar esta a melhor fase da vida.

Além do exemplo citado sobre a xerostomia, que pode causar uma deficiência de nutrientes generalizada, existem alguns nutrientes que são o foco na suplementação alimentar em idosos para prevenção de algumas doenças:

Cálcio

Necessário devido a alta incidência de desmineralização óssea, que causa a osteoporose. Existe uma tendência natural do ser humano a reduzir o consumo de lácteos depois da adolescência, seja pela redução na necessidade de cálcio, quanto no costume social associado a seu consumo – por exemplo, um adolescente geralmente tem o costume de tomar um copo de leite no café da manhã, enquanto um adulto substitui o leite por uma xícara de café nesta refeição.

Essa redução do consumo de lácteos impacta diretamente nos níveis de cálcio, que se não acompanhado corretamente, pode acelerar um processo de desmineralização óssea.

Vitamina D

A principal fonte de vitamina D é o sol. A dificuldade de locomoção em alguns idosos causa uma redução da saída dessa população, o que reduz o índice de vitamina D corporal. Uma das principais funções da suplementação de vitamina D está associada à desmineralização óssea, visto que a vitamina D auxilia no transporte de cálcio para o tecido ósseo.

Vitamina K

Também associado à desmineralização óssea, a vitamina K, assim como a vitamina D, auxilia no transporte de cálcio livre no sangue para dentro do tecido ósseo. Por não ser facilmente encontrada em alimentos, sua suplementação tem se tornado cada vez mais popular, principalmente pelo público feminino.

Fibras

Existe um aumento da reclamação de constipação intestinal nessa idade. O tratamento consiste na suplementação de fibras e aumento do consumo de água.

Proteínas

Há uma tendência natural na terceira idade de consumir menos proteína e mais carboidratos, causado pela dificuldade de mastigação e deglutição de fontes de proteína animal. No entanto, manter o consumo de proteína é essencial para manter a quantidade de massa magra corporal.

Vitamina B12

Esta importante vitamina tem como principal causador a redução no consumo de proteína animal, que é a principal fonte de vitamina B12 da dieta. Deficiência nutricional de B12 causa um tipo específico de anemia chamada megaloblástica.

Ferro

Outro nutriente comum de se encontrar deficiência em idosos, causando anemia nessa faixa etária. A deficiência de ferro também é muito relacionada com a baixa ingestão de produtos cárneos.

No entanto, é sabido que diversos vegetais verde-escuro são fontes desse mineral e que, se o consumo for acompanhado de vitamina C, podem substituir o ferro encontrado em carne vermelha.

Ômega 3

Nutriente anti-inflamatório, sua suplementação é indicada para idosos como auxiliar na prevenção de diversas doenças relacionadas à inflamação crônica, como as cardiovasculares.

Sarcopenia

A sarcopenia é um processo natural do envelhecimento no qual têm-se redução da massa muscular esquelética, associada a redução da força muscular ou desempenho físico.

Como há um aumento da expectativa de vida da população, a sarcopenia têm se tornado uma condição corriqueira nos atendimentos clínicos voltados à idosos.

A partir dos 50 anos é acelerada a perda de massa magra nos indivíduos, independente da prática de atividade física, e é necessária uma combinação de consumo adequado de proteína (em quantidade e horários específicos) e prática de atividade física para que o estímulo anabólico do corpo seja maior que o catabólico.

A suplementação proteica, que pode ser feita com Whey Protein, traz benefícios além da prevenção e tratamento da sarcopenia, como por exemplo, aumento na imunidade – outro fator muito relevante para esta faixa etária, que é mais sensível.

Probióticos

Nosso intestino é considerado nosso segundo cérebro e parte essencial do nosso sistema imunológico. Os probióticos são bactérias benéficas que colonizam nosso intestino e trazem benefícios de acordo com o tipo que bactéria que compor o suplemento.

No entanto, dois benefícios em comum para todos os probióticos é a regulação do intestino e aumento da imunidade – dois benefícios importantes para a terceira idade.

De acordo com o tipo de probiótico suplementado, você pode ter benefícios desde uma redução da progressão e prevenção de doenças mentais, como também melhora da glicemia em diabéticos. Consulte seu nutricionista para mais informações de como esse suplemento alimentar pode colaborar para sua saúde.

Benefícios da suplementação alimentar em idosos

benefícios da suplementação alimentar em idosos

Por ser um grupo mais vulnerável à desnutrição, a suplementação alimentar em idosos tem como a principal benefício evitar essa condição e auxiliar no tratamento de diversas doenças causadas pela deficiência nutricional crônica de alguns nutrientes.

Além disso, a suplementação alimentar para idosos individualizada auxilia com a ingestão adequada dos nutrientes menos consumidos pelo indivíduo para garantir o bom funcionamento de seu metabolismo. É uma forma prática e fácil de se adequar os nutrientes da dieta quando o indivíduo apresenta dificuldades na alimentação convencional.

Contraindicações da suplementação alimentar em idosos

Apesar de serem nutrientes que auxiliam no bom funcionamento do metabolismo, a suplementação inadequada pode causar uma sobrecarga nos rins e fígado de pacientes.

Além disso, para essa faixa etária o acompanhamento de um nutricionista é mais importante do que em outras fases da vida visto as condições clínicas específicas desse grupo, cujo tratamento com medicamentos também influenciam no balanço nutricional do paciente.

Antes de comprar um suplemento alimentar, leia o rótulo (ou a bula) e identifique as contraindicações específicas do produto, assim como a dosagem ideal e horário indicado para seu consumo.

Não é suplemento, mas é tão importante quanto!

O consumo adequado de água muitas vezes é menosprezado em relação ao consumo de vitaminas e minerais. No entanto, para o bom funcionamento do metabolismo, a ingestão hídrica também é essencial.

Com o envelhecimento temos uma redução natural da nossa percepção de sede, o que nos faz ingerir cada vez menos líquidos.

Mas, isso é um erro, visto que nossa necessidade hídrica não diminui, o que diminui somente é nossa sensação de sede – continue bebendo a mesma quantidade de água de quando era mais novo mesmo que sua sede tenha diminuído.

Sendo assim, é comum encontrarmos pessoas na terceira idade com altos níveis de desidratação, que podem causar desde doenças como pedras nos rins, até câimbras ou constipação intestinal.

Além disso, caso inicie algum tipo de suplementação alimentar, principalmente os de proteína, é muito importante manter a hidratação – visto que alguns tipos de suplementos exigem mais dos rins.

Conclusão

A suplementação alimentar nunca deve substituir completamente a alimentação, já pelo seu nome é descrito como “suplementação” – ou seja, ela só complementa as nossas necessidades diárias quando não conseguimos alcança-las através da alimentação.

Como em idosos há variações hormonais, doenças naturais, utilização de medicamento(s) cronicamente e uma redução natural da fome e vontade de comer, a desnutrição e deficiências nutricionais pontuais se tornam uma constante na vida desse determinado grupo.

Por isso, os suplementos alimentares para idosos se tornam aliados na hora de se adequar o balanço nutricional do indivíduo. E não se esqueça, sempre beba água, mesmo que não esteja sentindo sede.

Por ser um grupo mais vulnerável, é altamente recomendado que um profissional da saúde faça a indicação do melhor suplemento alimentar e acompanhe o progresso do tratamento com o paciente, para que se tenha melhor adesão ao tratamento e se evite possíveis consequências negativas na saúde do idoso causadas por excesso de nutrientes.

Ainda ficou com alguma dúvida? Conte para nós nos comentários! 😉

Não se esqueça de compartilhar este post!

Ana Carolina Rocha

Nutricionista

Nutricionista pela UNICAMP e pós-graduanda em Desenvolvimento de Produtos pelo Instituto Mauá de Tecnologia. Estudou um ano de nutrição na Ulster University - Reino Unido. Atua como Personal Diet na área clínica e estética e acredita que os alimentos são fonte de saúde e felicidade para as pessoas.

Artigos Relacionados

Não perca mais nenhum post!

Assine nosso blog e receba novos posts diretamente em seu e-mail.